Rua dos Expedicionários, 467 - Centro - Artur Nogueira/SP
CEP: 13.160-080 | CNPJ: 67.162.628/0001-64
Horário de Atendimento: Segunda a Sexta-Feira, das 08h30 às 17h00
Fone PABX/FAX: (19) 3877-1097 / 3877-2358 / 3877-5094
Celular PABX: (19) 9.9605-9442
E-Mail: secretaria@camaraarturnogueira.sp.gov.br

Agente público deverá possuir condições legais necessárias para ocupar cargo.

A Câmara Municipal de Artur Nogueira promulgou no início de agosto a Emenda à Lei Orgânica nº 033, que implanta a chamada “Lei da Ficha Limpa” na Administração Pública Municipal e sua vigência teve início na data de sua publicação, sendo em 02 de agosto de 2012.

A lei denominada “Lei da Ficha Limpa” impõe requisitos adicionais para a admissão e contratação de servidores públicos, englobando secretários municipais, ocupantes de cargos comissionados, conselheiros tutelares e servidores efetivos cuja nomeação se dê a partir desta data. Eles terão que atender às mesmas exigências documentais impostas aos agentes políticos que concorrerão às eleições, como não ter condenação criminal e improbidade administrativa. “A proposta teve a iniciativa de todos os vereadores, com adaptação sucinta, abrangendo todas as funções.

A adaptação não mudou nada na lei, apenas foi colocada na realidade municipal, fazendo com que todos os ocupantes de cargos comissionados da Prefeitura sejam obrigados a comprovar que não se encontram em desconformidade com a lei”, explica o presidente da Câmara Municipal, Silvio José Conservani.

Ainda segundo o presidente da Câmara, a lei qualifica moral e eticamente os agentes públicos, além de evitar que, futuramente, a Prefeitura contrate pessoas envolvidas em desvios de verbas públicas. “A purificação do poder público tem que estar presente em todas as áreas”, esclarece Conservani.

Ficha Limpa

Essa é uma legislação originada de um projeto de lei de iniciativa popular, pensado desde 1995, sendo aprovado em maio de 2010. A lei da Ficha Limpa acumulou aproximadamente 1,3 milhões de assinaturas. Ela torna inelegível pelo período de oito anos o candidato que tiver o mandato cassado oficialmente, o que renuncia para evitar a cassação ou que for condenado por decisão por mais de um juiz.

Em fevereiro deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a lei constitucional e válida para as próximas eleições que forem realizadas no Brasil.

 

Pesquisar conteúdo do site

AVISO LGPD - EB Sticky Cookie Notice

Aviso de Privacidade - LGPD

Nós utilizamos cookies no nosso Portal para garantir uma melhor experiência de navegação ao usuário. Ao utilizar o site, você concorda com essas diretrizes.
Saiba mais sobre esta política e como excluir ou desabilitar os cookies clicando em 'Saiba Mais'.

Sexta 12 Agosto 2022